Quer receber dicas de Negócios, Empreendedorismo e Marketing Digital.

Adicione seu email abaixo e receba gratuitamente informações sobre diversos temas para seu desenvolvimento pessoal.

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro conosco!

5 hábitos que destroem sua autoestima (como se livrar deles!)

5 hábitos que destroem sua autoestima (como se livrar deles!)

Hábitos que destroem sua autoestima

Se você não esta satisfeito com sua atual situação profissional, então esse post é pra você. Falarei sobre 5 hábitos que destroem sua autoestima e como se livrar deles.

Passar o tempo em redes sociais

Redes sociais contribuindo para a baixa autoestima

Vamos começar por algo que gera mais polêmica no assunto, as famosas redes sociais.

Inevitavelmente, adquirimos o hábito de comparar nossas vidas com a dos outros, e em nosso subconsciente moldamos que a “grama do vizinho é sempre mais verde”. Certamente, desprendemos nossa atenção e foco para buscar esses picos de novidades.

Entretanto, estudos comprovam que várias pessoas caem na ilusão criada por postagens em textos e fotos nas redes sociais, todavia, a maioria dessas postagens não correspondem com a realidade.

Inconscientemente a autoestima tem a ver sobre estarmos seguros de quem somos. Para combater esse problema você precisa ter objetivos claros em sua vida, e o mais importante, precisa estar seguro de quem você realmente é.

Quando estamos seguros de nossos objetivos, o que menos precisamos é entrar em disputas que provem que somos ou estamos felizes.

A falta de metas deixará você a mercê de aceitar qualquer informação vindo de fora, impedindo sua capacidade de raciocinar melhor.

Evite entrar nas redes sociais sem um objetivo ou ação clara, procure redes sociais para abranger seu conhecimento, saber um pouco dos amigos é ótimo, mas não deixe que isso seja o foco de sua vida.

Esperar o momento perfeito

Esperar o momento perfeito

Certa vez, estava prestando serviços de consultoria em uma empresa de comercio eletrônico. Nessa mesma empresa, em uma determinada sala tinha 6 pessoas aproximadamente, uma delas descobriu que eu invisto no mercado financeiro e começou a me fazer perguntas sobre investimentos. Perguntei em seguida como era a ligação deles com investimentos. Em unanimidade a resposta foi: “Eu já estou com uma conta na corretora, mas ainda não consegui começar a investir por causa de A, B ou C motivo”. Inesperadamente, o que me deixou ainda mais surpreso é que 2 deles já tinham mais tempo de cadastro ativo em corretora do que eu, mas não tinha investido 1 centavo.

Com um olhar de preocupado falei: Não importa em que momento da vida vocês se encontram atualmente, ou o que vocês gostariam de mudar ou melhorar em sua jornada, mas, esperar por condições perfeitas não vai fazer você chegar em seu objetivo.

Se instalou o silêncio na sala. Até eu comentar como mudei meu mindset de gastador para investidor. Nesse momento passei a prestar mais atenção na baixa autoestima e frustrações que pairava sobre seus olhos.

Nesse caso, estaremos voltamos para o tópico anterior, não ter objetivos em sua vida te deixará no mesmo lugar, frustrado e contribuindo com a baixa autoestima.

Qual foi a última vez que você fez um curso de aprimoramento, colocou uma ideia nova no papel e conseguiu concretizar?

Você sabia que a baixa autoestima prejudica na hora de conseguir um aumento de salário ou um cargo melhor?

Não espere alguém vim te salvar, isso não vai acontecer. Faça o que esta a seu alcance agora, use as ferramentas que você tem e comece onde você esta nesse momento.

A vida não vai pausar para esperar que as coisas caiam no seu colo. Mova-se!

Estar ao lado de pessoas negativas

Pessoas negativas no trabalho

Existem pessoas que vivem em constante negatividade, com um pessimismo que não só afeta elas mesmas, mas acabam influenciando a vida dos outros a seu redor.

Tenho certeza que você conhece pessoas assim, normalmente elas estão de mau humor e tem pouca tolerância a frustrações.

Elas encontram bastante coisas negativas a qualquer frase dita, projeto ou vitórias de seus companheiros de trabalho. Mas no fundo, estas pessoas são vítimas das próprias escolhas, passam o dia sofrendo pela decepção com a realidade que vivem.

“Diga-me com quem andas e te direi quem és!”. Se afastar dessas pessoas deve ser seu maior triunfo para melhorar sua autoestima. Ignorar certos tipos de comentários vai te levar a outro nível, identifique as pessoas que mais sorriem, e elogia os feitos de seus colegas e tente ficar próximo a eles.

Se a pessoa não for apenas um colega de trabalho, for um familiar ou tiver um poder sobre você temos algumas dicas.

Evite comentar sobre projetos

Mesmo você sendo muito otimista e próspero, falar sobre frustrações, sucesso ou pedir conselhos pode trazer comentários desnecessários a seu dia-a-dia por essas pessoas levando-o para a estaca zero, é o famoso “quem procura acha”, então, apenas trace seu plano, trabalhe duro e em silêncio. Deixe que seus resultados falem por você e não suas palavras.

Coloque limites

Vamos levar em conta que esta pessoa tenha muita proximidade. É inevitável que uma hora ou outra seremos pegos desprevenidos e a insistência dela vai acabar nos atingindo negativamente, é nesse momento que devemos ter muito cuidado, pois nossos comportamentos e comentários pode influenciar drasticamente nos hábitos que destroem nossa autoestima.

O que mais ocorre é falarmos algo desnecessário nos rebaixando a seu nível de negatividade e depois nos machucar bastante por alguns dias.

Nessa situação apenas imponha limites:

“Você está me deixando muito triste com suas palavras, por favor, não continue!”

“Infelizmente suas palavras estão sendo agressivas, por favor, pare!”

“Sei que você não teve a intenção, mas por favor pare, vai acabar me machucando”.

Mas para funcionar você precisa ter seu plano bem definido, estar no seu casulo de objetivos e esquecer definitivamente o que essas pessoas comentaram, na maioria dos casos impor limites costumam funcionar.

Medo de mudança

Medo da mudança – autoestima

Grande parte das pessoas têm sonhos e projetos futuros, mas infelizmente nunca vão sair do papel! Quantas vezes nos esbarramos em sonhos por medo do “e se”?

“E se meus planos não vingarem?”

“E se eu me decepcionar?”

“E se meu familiar não aprovar?”

Existe esse tal de “e se” nos perseguindo e abalando nossas mudanças de hábitos, consequentemente afetando diretamente nossa autoestima.

Uma frase que ecoa bastante em meus pensamentos quando penso em medo de mudança é:

“Se você só tiver disposto a realizar o que é fácil, a vida será difícil. Mas se concordar em fazer o que é difícil, a vida será fácil. “

T. Harv Eker

Ninguém está condenado a não conquistar o que realmente deseja. Se permita a sair da zona de conforto, mover-se está intrinsicamente ligado a alcançar os objetivos de vida que você sempre desejou.

Trace um plano e apenas o siga, comece fazendo 1 vez por semana e depois vá aumentando gradativamente, no final de 1 ano você já terá conseguido muitos resultados.


Leituras recomendadas


Procrastinar

Procrastinar as tarefas diárias

Quem nunca deixou uma tarefa que deveria ser feita hoje para o próximo dia e depois ficar se culpando? Esse é um hábito cada vez mais comum não só entre os brasileiros, mas frequente em todo ser humano.

Algumas pessoas afirmam que rendem mais sobre pressão, no entanto, a qualidade do material entregue acaba sendo baixa, a correria aumenta, além de contribuir diretamente na baixa autoestima, o que pode causar um acumulo de estresse e desenvolvendo um problema psicológico muito maior e incontrolável.

O ato de adiar é por que sentimos insegurança de nossas atuais capacidades de realização, usamos como uma maneira de proteção ou auto sabotagem (nosso subconsciente falando mais alto).

Segundo o psicólogo Canadense Piers Steel, o que mais explica a procrastinação é o fato de valorizarmos muito mais o prazer do momento ao que prazer no futuro.

Se o nosso objetivo está a longo prazo, nosso cérebro alinha subconscientemente que fazer as tarefas que geram dopamina imediata é mais eficiente. Também costumamos evitar as tarefas que consideramos chatas. Já que não gera nenhuma satisfação de recompensa ao finaliza-la.

O que me ajudou bastante a minimizar consideravelmente a procrastinação foi me adaptar a técnica Pomodoro (falarei disso muito em breve), mas basicamente é dividir cada tarefa em pequenas tarefas de 25 minutos no máximo, após finalizar o tempo eu sempre dou uma pausa de 5 minutos e vou fazer outra coisa como beber água, banheiro, respirar, olhar o planejamento… O importante é fazer algo totalmente diferente de sua tarefa até terminar o tempo e você retornar.

Dividir uma tarefa grande em pequenas tarefas ajuda a burlar o cérebro induzindo-o a satisfação em cada entrega.

Mas temos um post falando só de plano de ação 5W2H, vai te ajudar bastante também a entender e burlar a procrastinação.

E aí? Conseguiu identificar algum hábito que destroem sua autoestima? Agora tem noção de como identifica-lo no seu dia-a-dia?

Deixe nos comentários!

Se esse post te ajudou, por favor compartilhe com alguém que você acha que precisa de alguns conselhos para melhorar no desenvolvimento.

Sobre o Autor

Geriel Castro
Geriel Castro

Geriel Castro Sócio Fundador da 7Giros Soluções – Consultor de Negócios, Empreendedor e Empresário atuando a mais de 10 anos no mercado de tecnologia, onde ja realizou vários projetos em diversas áreas como: Mídias sociais, Marketing digital, Desenvolvimento, aplicativos e sistemas para tomada de decisão.